Manilal Nag – Live in Woodstock

VH2GDH_Tvjw

This sitar master is perhaps the major living exponent of the Vishnupur gharana, a school of classical Indian music coming from the ancient dhrupad style of the aalap, the base of the North Indian raga. Among many other things, this is the concept that many listeners would recognize as the raga, with its slow tempo that gradually builds up to a sometimes hysterical speed. Manilal Nag was the son of sitar master Sangeetacharya Gokul Nag and like many other classical Indian musicians was a descendent from a long line of other distinguished instrumentalists, many of them sitarists. He studied vocal and instrumental music with his father beginning at the age of six, working an average of six to eight hours a day, definitely pushing the rules for practice established by one Pinky Das Gupta: “Never practice in one day more hours than the number of years in your age.”

A major focal point of his study was that the instrumentalists in classical Indian music should concentrate on learning vocal music and following what the voice is doing, before anything else. This concept of the relation between instruments and the voice in music has been similarly expressed in other genres of music, such as jazz, where tenor saxophonist Lester Young often expressed the exact same philosophy as put forth by Nag: “I have to follow the vocal music on sitar. The vocal is the vital point of any instrumental music in India.” By 1953, Nag had been selected to stage his debut concert at the All-lndia Music Conference, accompanied by master tabla player Pandit Santa Prasad. The following year, the young Nag (no insult intended, this is the rare example of it being good to be a Nag) performed as a hand-picked artist of the All lndia Radio. Nag won much acclaim performing at music festivals throughout India and abroad under the auspices of that radio’s international touring department. In 1973, Nag came to the U.S. for the first time to perform, as well as in England and several other European countries. He also performed in Bangladesh and Nepal. In 1985, Nag was invited to perform throughout Japan and in 1994 he made his New York debut as part of a program at the New School with Samir Chatterjee on tabla. Music seeped down into the bones of his own children, as he has both a 16-year-old son, Subhasis Nag, and a 23-year-old daughter, Mita Nag, who perform, the latter selected as sitarist for the All-India Music Conference. The elder Nag, however, seems to be discouraging them from becoming professional musicians, nagging them about the economic and social conditions in India. He also likes to nag in interviews about the lack of discipline among the young musicians in India, who he says now study only six years before beginning public performances. He holds a seat on the Indian government’s University Grand Commission, and in this capacity, as well as in his role as a board member for All lndia Radio and television networks, he helps select artists for its programs, so these young upstarts better start practicing up to the limit previously set by Das Gupta, if not up to Nag’s standards.

Este mestre do Sitar é talvez o maior expoente vivo do gharana Vishnupur, uma escola de música clássica indiana que vem do antigo estilo dhrupad do aalap, a base da raga indiana do norte. Entre muitas outras coisas, este é o conceito de que muitos ouvintes reconheceriam como uma raga, com seu ritmo lento, que gradualmente se acumula a uma velocidade de, por vezes, histérica. Manilal Nag era filho do mestre sitarista  Sangeetacharya Gokul Nag e, como muitos outros músicos clássicos indianos era um descendente de uma longa linhagem de outros instrumentistas ilustres, muitos deles sitaristas. Ele estudou música vocal e instrumental com o pai começando com a idade de seis anos, trabalhando uma média de seis a oito horas por dia, definitivamente empurrando as regras para a prática estabelecida por um Pinky Das Gupta : ” Nunca praticar em um dia mais horas do que o número de anos de sua idade.”

Um grande ponto focal de seu estudo foi que os instrumentistas da música clássica indiana devem se concentrar em aprender música vocal e seguindo o que a voz está fazendo, antes de qualquer outra coisa. Este conceito da relação entre instrumentos e voz na música tem sido igualmente expressa em outros gêneros de música , como o jazz, onde o saxofonista tenor Lester Young muitas vezes expressa a mesma filosofia exata como apresentadas por Nag : “Eu tenho que seguir o vocal música em sitar, o vocal é o ponto vital de qualquer música instrumental na Índia. ” Em 1953 , Nag havia sido escolhido para encenar o seu concerto de estreia na Conferência All- lndia Música, acompanhado pelo mestre da tabla Pandit Papai Prasad. No ano seguinte, o jovem Nag (sem insulto pretendido, este é o exemplo raro de ser bom ser um Nag ), realizado como artista escolheu a dedo do Todo lndia Radio. Nag ganhou muitos elogios apresentando em festivais de música por toda a Índia e no exterior sob os auspícios do Departamento de turnê internacional que do rádio. Em 1973, Nag veio para os EUA pela primeira vez para se apresentar, bem como na Inglaterra e vários outros países europeus. Atuou também em Bangladesh e Nepal. Em 1985, Nag foi convidado para se apresentar em todo o Japão, e em 1994 ele fez sua estréia Nova York como parte de um programa na New School com Samir Chatterjee na tabla. A Música escoou para dentro dos ossos de seus próprios filhos, como ele tem tanto um filho de 16 anos de idade, Subhasis Nag, e uma filha de 23 anos de idade, Mita Nag, que tocam, esta última selecionada como sitarista para o All- Índia Music Conference. O Nag mais velho, no entanto, parece estar desencorajando-os de se tornarem músicos profissionais, importunando-os sobre as condições económicas e sociais na Índia. Ele também gosta de importunar em entrevistas sobre a falta de disciplina entre os jovens músicos, na Índia, que ele diz agora estudar apenas seis anos antes de iniciar apresentações públicas. Ele detém um assento no University Grande Comissão do governo indiano, e nesta capacidade, bem como em seu papel como membro do conselho para todas as redes de rádio e televisão lndia, ele ajuda a selecionar artistas para seus programas, assim que estes jovens iniciantes melhor começar a praticar até o limite previamente estabelecido pelo Das Gupta, se não para os padrões de Nag .

Anúncios