BLAVATSKY:
UM SÍMBOLO ANTIGO

O Lótus ou Padma é (…) um símbolo muito antigo e apreciado do próprio Cosmo, e também do ser humano. As razões populares disso são, em primeiro lugar, o fato (…) de que a semente do Lótus contém dentro de si uma perfeita miniatura da futura planta, o que exemplifica o processo pelo qual os protótipos espirituais de todas as coisas existem no mundo imaterial antes que as coisas se materializem na Terra. Em segundo lugar, o fato de que o Lótus cresce através da água, tem a sua raiz no Ilus [1], ou barro, e espalha a sua flor no ar acima. Deste modo o Lótus tipifica a vida do homem e também a vida do Cosmo, porque a Doutrina Secreta ensina que os elementos de ambos são os mesmos, e tanto o homem como o Cosmo estão evoluindo na mesma direção. A raiz do Lótus, mergulhada no barro, representa a vida material; a haste, que passa através da água, simboliza a existência no mundo astral; e a flor flutuando na água e aberta para o céu é um emblema do ser espiritual.

NOTA:

[1] Ilus: termo de origem grega, com o significado apontado por HPB. (Nota do Tradutor)

0000000

Trecho reproduzido da obra A DOUTRINA SECRETA, de Helena P. Blavatsky. Tradução passo a passo feita por Carlos Cardoso Aveline a partir da edição original “The Secret Doctrine”, e publicada no sitewww.FilosofiaEsoterica.com . O trecho acima encontra-se na página 91.

Link: http://www.filosofiaesoterica.com/ler.php?id=1442#.U1hTtVVdXp5

Anúncios