Os santos e místicos descobriram, pela experiência intuitiva, que o único ponto em todo o universo não sujeito a mudanças está no centro de nosso ser, nas profundezas de nosso coração, e, de acordo com a Vedanta, esse é o centro comum a todos os seres no universo. Lá o Senhor reside, refulgente como o fogo. De uma forma ou de outra, devemos nos voltar para dentro, para essa região que está livre de todo tumulto e que transcende o corpo e a mente. A paz real é encontrada somente ali. Quando estamos levando a vida diária, seja ela espiritual ou secular, a questão mais importante que devemos perguntar a nós mesmos é, onde nós estamos quando estamos agindo? Onde está nosso centro de gravidade? Se estivermos identificados com aquilo que “late e uiva”, ficaremos desconcertados. Por isso, deve haver um esforço consciente e deliberado de nos desapegar de todos os ventos e tempestades e permanecer em nosso próprio Centro, Deus, que é a região de calmaria, e ter amor indistinto por todos, baseado em nossa conexão com todos por meio da Realidade Suprema. Como disse Swami Vivekananda: “Há apenas uma base do bem estar social, político e espiritual – saber que eu e o meu irmão somos um”.

– Swami Prabuddhananda

Anúncios