Faz o que tu queres há de ser tudo da da Lei

Alguns alunos meus de Yoga que sabem de minha conexão com a Filosofia Thelêmica costumam me perguntar: «E essa história de faz o que tu queres…?» Por que ninguém consegue entender essa injunção de liberdade interior? As pessoas concebem a Lei com, infelizmente, «adharma», que nos impinge a um antagonismo de palavras, pensamentos e ações. «Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei», essa é a frase. Nela devemos considerar duas palavras significativas: «tu» que se refere não ao ego ou sentido de egoidade «ahaṃkāra», mas ao Ser Interior, o «ātman» dos vedāntins ou o «puruṣa» dos yogīs. Portanto, «Faz o que tu queres» significa realizar o «svadharma», a Missão Pessoal ou Verdadeira Vontade do Ser Interior ou Sagrado Anjo Guardião. A segunda palavra é «Lei». Esta «Lei» é o que nós conhecemos como «dharma» ou as leis que regem o universo. Mas por que «Lei» começa com a letra maiúscula e o «tu» não? Porque o «svadharma», a lei do universo particular de cada indivíduo deve estar alinhada as leis do universo, as leis que sustentam o universo «dharma».

Amor é a lei, amor sob vontade.

Fernando Liguori

Faz o que tu queres há de ser tudo da da Lei Alguns alunos meus de Yoga que sabem de minha conexão com a Filosofia Thelêmica costumam me perguntar: «E essa história de faz o que tu queres...?» Por que ninguém consegue entender essa injunção de liberdade interior? As pessoas concebem a Lei com, infelizmente, «adharma», que nos impinge a um antagonismo de palavras, pensamentos e ações. «Faz o que tu queres há de ser tudo da Lei», essa é a frase. Nela devemos considerar duas palavras significativas: «tu» que se refere não ao ego ou sentido de egoidade «ahaṃkāra», mas ao Ser Interior, o «ātman» dos vedāntins ou o «puruṣa» dos yogīs. Portanto, «Faz o que tu queres» significa realizar o «svadharma», a Missão Pessoal ou Verdadeira Vontade do Ser Interior ou Sagrado Anjo Guardião. A segunda palavra é «Lei». Esta «Lei» é o que nós conhecemos como «dharma» ou as leis que regem o universo. Mas por que «Lei» começa com a letra maiúscula e o «tu» não? Porque o «svadharma», a lei do universo particular de cada indivíduo deve estar alinhada as leis do universo, as leis que sustentam o universo «dharma». Amor é a lei, amor sob vontade. Fernando Liguori
Anúncios